Zan Perrion e a Sedução Iluminada - Parte 8: A magia do flerte

Este é um artigo de ouro (mais um) do Zan Perrion, traduzido por meu querido brother Marinho!Aproveitem!

The Magic of Blurting

Quantos de nós, homens, vivem suas vidas se segurando? Nós pensamos em algo engraçado pra dizer mas não dizemos porque, bom, e se elas não acharem assim tão engraçado? Nós mordemos nossa língua. Nós nos seguramos. Nós estamos com medo de simplesmente dizer o que está em nossas mentes.
“Mas e se elas não acharem interessante o que nós temos a dizer”, homens dizem. “Isso nos deixa nervosos.”Claro que ficamos nervosos! Essa é a melhor parte de sair da zona de conforto. É assustador e novo. E além disso, eu já perdi a conta de quantas mulheres já me disseram que acham charmoso quando um homem está nervoso e não tenda esconder isso. É necessária muita força para estar com medo e agir mesmo assim. É o cúmulo da masculinidade.
Quando você está conversando com uma mulher, uma coisa que é sempre legal de se fazer é expressar o que está acontecendo na experiência. Noutras palavras, nomeie o que está acontecendo naquele exato momento. Se está nervoso, diga. Se ela parece nervosa, diga. Se você gosta dela, diga. Se você acha que ela gosta de você, diga. Se você a deseja, diga. Se você a quer ver de novo, diga. Se você quiser que ela seja sua amante, diga. Se ela parece indiferente ou quieta, diga. E até se seus assuntos acabarem, bom, então diga isso.
Isso vai jogar você pra fora da sua cabeça, permitindo que você esteja totalmente presente na sua interação com ela. Tente não pensar muito, isso não te ajuda realmente. Apenas esteja centrado no seu corpo e diga o que quer que esteja acontecendo com você. Expresse tudo o que você está expereciando no momento.
Nunca deixe nada às custas da chance. Nunca assuma, que somente por suas ações, ela vai saber o que você está pensando. Não deixe implícito. Seja direto. Como “Bom, simplesmente não vem nenhum assunto à minha mente… me diga algo interessante sobre você.” Como “Sabe, por alguma razão… tem alguma coisa em você que me deixa meio que nervoso.” Como “Achei você absolutamente maravilhosa… adoraria ver você de novo.”
Quando você descreve exatamente o que gostaria de experenciar com ela, você essencialmente cria essa experiência. Nomeando-a, você a torna real. O que não estava lá antes, agora está. Ou mais precisamente, o que não estava sendo visto, agora está. Por exemplo, se você sorri por ela e baixa a sua voz pra ela e somente pra ela, e diz “Pode sentir isso no ar? Essa eletricidade em torno de nós?” bom, se ela não sentia antes, agora ela sente.
Isso é parte da dança… a dança do momento… ficando no seu corpo, expressando tudo o que você sente… criando o momento.
- Zan Perrion
Tenho certeza de que vocês estavam com saudades do Zan hehe!
Tem muito mais por vir! Abração!
Créditos: Lohan, Base dos Naturais